Como falar e ser ouvido

Você sabe qual é a maior dificuldade de um empreendedor?

Vender? Ganhar dinheiro? Ser o melhor da região? Ter um produto perfeito?

Bom, eu digo com toda a convicção que é CONTAR HISTÓRIAS. Toda transação humana, precisa de uma história e de todos os aspectos emocionais e conectivos que envolvem esse ato.

Seja no processo comercial, no desenvolvimento de uma estratégia de marketing, ou até no seu casamento. É preciso contar histórias e envolver pessoas com a mesma!

É exatamente por esse motivo que vou te trazer algumas dicas para o desenvolvimento de um storytelling matador! Prenda a atenção e conquiste pessoas!

Histórias vendem? Conexão vende? Qual o motivo disso?

O corpo humano e suas funções são estimulados por hormônios. Eles fazem o nosso balanceamento biológico, controlam o ritmo de nossas vidas, regulam as funções corporais. São responsáveis por provocar o sono ou o estado de alerta, fome ou saciedade, felicidade ou raiva, por fazer o sistema reprodutor trabalhar, o corpo crescer, engordar ou emagrecer, se estressar ou relaxar, ficar de bom ou mau humor. Podemos dizer que os hormônios moldam nosso comportamento em diversas situações. 

Agora você deve estar se perguntando o motivo de eu estar falando sobre hormônios em um artigo sobre Histórias. Bem, é muito simples!

Histórias têm o poder de emocionar! E a emoção está diretamente relacionada com a liberação de hormônios.

David JP Phillips, palestrante e coach com treinamentos e estudos voltados para a biologia e neurociência, nos diz que a forma mais genuína de conexão, o momento em que nos encontramos tomados por uma visão completamente guiada da imagem, é quando nos apaixonamos. Vou trazer um exemplo para que você entenda melhor:

Quando estamos no início de um relacionamento, aquela fase da PAIXÃO ardente, temos a tendência de focar nos bons aspectos (aqueles que nos fazem ficar ainda mais apaixonados).  Esse é o ápice da turbulência química corporal! Não vemos defeitos e a vida ficar melhor do que antes. Tudo por causa de alguns hormônios. 

O processo de Storytelling está totalmente relacionado com o que disse! Histórias conectam, nos fazem ficar apaixonados, fazem com que nossos corpos liberem hormônios.  

Mas como fazer isso? Como conectar e trazer o ouvinte para nosso lado? Trarei 3 dicas para que você consiga essa conexão sem que seu cliente pare de prestar atenção!

Emocione!

Para que alguém se emocione com sua história, você precisa criar certo tipo de conexão. E uma ótima forma de criar essa conexão é se munir de arquétipos! 

Arquétipos são as primeiras imagens ou impressões de certa coisa. É aquela ideia básica ou conceito que temos quando vemos certo fato. Pode ser um cheiro ou uma sensação, são associações inconscientes! Por exemplo, quando temos a ideia de um cachorro, associamos a lealdade, amizade e obediência. Entende onde quero chegar?

Quando você consegue inserir certos arquétipos, ideias já introduzidas no inconsciente dos ouvintes, você faz com que eles criem identificações e laços emocionais com sua história!  

Insira detalhes, fatos, acontecimentos e crie conexão! Seu ouvinte precisa reconhecer aqueles fatos em sua vida.

Exagere!

A ideia aqui é deixar a história mais impactante. Assim, as pessoas tendem a prestar mais atenção! 

Qualquer exagero CHAMA A ATENÇÃO!

Percebeu? Até fontes maiores fazem com que você leia com mais atenção!

Abuse dessa artimanha, independente de qual situação esteja presente! Em uma apresentação da empresa, por exemplo, use números gigantes e com cores marcantes. Aquilo que seria chato e desinteressante, chamará atenção. 

Crie momentos marcantes!

Como terceira e última dica, eu digo para que você crie momentos marcantes!

É a união entre informações importantes, exagero e emoção! Você precisa ligar todos esses fatores ao sentido e, assim, criar histórias e momentos marcantes. Esse é o segredo para que te escutem e para que espalhem sua história. O que nos marca é lembrado e reproduzido! 

Conclusão:

Histórias vendem, conexão vende, emoção vende! 

Traga humanidade a sua história, exagere, conecte-se e seja lembrado. Uma boa história precisa ser contada e pessoas precisam ouvi-la! Assim que se preocupar com as marcas deixadas, seus negócios mudarão por completo. 

Como o humor pode te ajudar no mundo corporativo?

Olá meu amigo empresário, como vão as coisas? Quero começar dizendo que esse artigo foi feito para você e toda sua empresa. Cada um de sua equipe tem a permissão e o dever de absorver esse conhecimento! O bom humor e até o improviso (o famoso jogo de cintura) devem fazer parte do checklist obrigatório do ser humano de sucesso.

Vamos começar explicando porque esse bom humor e o improviso são guias para o sucesso. Para isso, vou te contar uma breve história! 

Fulano, o “pior” aluno da escola:

Em toda sala de aula existe aquele aluno que não se encaixa nos padrões impostos pela coordenação. A sala da diretora é sua segunda casa, a provas o incomodam, a sala de aula é uma prisão e era nela que acontecem seus maiores feitos… 

Os professores já se acostumaram, qualquer frase fazia com que uma piadinha saísse lá do fundo da sala. Não havia o que fazer para “consertar” o comportamento desse aluno…Mas uma coisa espantava, suas notas eram incrivelmente boas.  

Eliana, a professora de filosofia até tentou uma vez:

– Se você fizer mais uma piada na minha aula, pode me esquecer!!

– Quem é você??  Respondia o aluno com cara de deboche.

Por incrível que pareça, era impossível não gostar daquele aluno… Todas as crianças e professores sentiam-se bem perto dele. Pessoas se apaixonavam e ele conseguia atrair atenção em todos os momentos. Ele era sempre o escolhido do grupo para apresentar os trabalhos com aquele PowerPoint mal feito de fonte Comic Sans (e todos conseguiam entender). Era visível uma vocação fora dos padrões impostos, alguns professores só fingiam ser cegos

Hoje, Fulano trabalha criando, é profissional requisitado em marketing de conteúdos, é especialista em técnicas criativas e o completo conhecedor de SEO (Search Engine Optimization. Se você não entendeu, quer dizer que é algo difícil de ser especialista). Enfim, Fulano é um profissional completamente realizado! Ele teve sucesso fugindo dos padrões e buscando otimizar seus processos com a criatividade, o jogo de cintura e o HUMOR. 

Esse Fulano sou eu!  

Como a história de Fulano deixa claro o quanto o Humor e o Improviso nos ajudam no mercado?

Bem, é muito simples! Características padrões impostas pela escola não são guias para o sucesso. A escola não te ensina a ter sucesso no mercado. Na verdade, ela te ensina o contrário. O método tradicional te ensina a viver em uma caixinha! 

Na minha opinião, o que constrói um bom desenvolvimento profissional são RELACIONAMENTOS. É o princípio básico do sucesso, você precisa fazer bem e proporcionar bons momentos para seu público e para sua equipe! E o bom humor, a criatividade estão aí, na construção imagética e sensorial de bons momentos.  

Posso listar os benefícios do bom humor para diversas situações:

1- Ele faz com que te ouçam:

No artigo da semana passada, contei um pouco sobre o quanto o exagero e as informações fora do padrão chamam atenção. E o humor é uma ferramenta extremamente útil nessa situação!

A quebra dos padrões e a fuga do banal pode causar o riso. E essa reação é a primordial da comédia. Aquilo prende atenção. 

O riso proporciona liberações químicas prazerosas e o ser humano precisa delas. Faça rir e seja ouvido e compreendido! 

2- O humor ajuda no reconhecimento de equipe:

A integração e a redução de diferenças de status são proporcionadas por momentos rodeados por humor. É cientificamente comprovado! Nós somos movidos por sensações e a sensação de prazer torna a convivência coletiva muito mais agradável.

Ninguém aguenta o Roberto do RH, aquele cara ranzinza e de cara fechada. Onde ele chega as pessoas correm. Já o Pablo contagia o ambiente com gargalhadas. O café e as reuniões se tornam mais leves.

Percebe? Pequenos momentos se tornam diferentes quando são tratados com outras abordagens! Uma conversa de elevador (reconhecida por mim como a situação mais constrangedora e desagradável da história humana) pode ser divertida quando é envolta de bom humor.

Não digo também para você forçar aquelas piadas de tiozão que irritam. É preciso sentir o momento e trazer formas irreverentes de fazer rir! (sem piadas de pavê, por favor!)

3- O humor desenvolve a confiança:

Além de desenvolver o ideal de equipe, o humor consegue trazer a confiança.

É praticamente o mesmo princípio químico dos tópicos anteriores. Hormônios liberados com o riso e o prazer, estão diretamente ligados com o desenvolvimento da confiança. Seu corpo não diferencia. São fatores puramente biológicos!  

Passamos a confiar mais em pessoas próximas e o humor nos aproxima. E esse contato é a chave do acreditar e apoiar em cada decisão. Líderes com bom humor tendem a ter uma equipe muito bem alinhada. 

4- Agora chega!

Eu poderia listar inúmeras melhorias e mudanças que o bom humor pode causar em sua carreira e em sua empresa, mas isso só tornaria o artigo robusto (ou até chato)  A ideia aqui é te mostrar que boas relações e desenvolvimento profissional se conquistam com a inovação, a criatividade, jogo de cintura e o bom humor.

Não basta só ser o melhor com aquela tecnologia, ser o profissional mais expert em uma ferramenta. Você precisa de pessoas do seu lado! Relações movem até as placas tectônicas, não seria diferente com sua carreira. Comece a trazer esse tipo de ideal para seu mindset e perceba acontecer! (depois conte-me como conseguiu) .