As grandes doenças das empresas: Como evitar que sua empresa morra? (2/4)

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Sebrae, cerca de 56% das empresas no Brasil têm uma vida útil de 5 anos. Preocupante não é mesmo? Sabe qual o principal causador dessa fatalidade que atinge o empresário e uma grande parte da população empregada? Doenças empresarias, causadas por algo muito comum: Hoje o nosso destaque é sobre OVERTRADING. Leia e entenda mais sobre esse assunto.

O que é o Overtrading?

Overtrading é o excesso de crescimento de vendas frente ao crescimento do Patrimônio Líquido. As vendas crescem, mas o Patrimônio Líquido não, ou ele cresce em um percentual menor do que o crescimento das vendas.

Fácil, não? Obviamente não! Vou tentar facilitar um pouco.

Simplificando vamos trazer o conceito de patrimônio líquido:

O patrimônio líquido é o resultado da diferença entre os valores do ativo e do passivo de uma entidade. Por exemplo: Se você tem um ativo (bens e direitos) de R$ 200.000,00 e um passivo (obrigações) de R$ 100.000,00, o seu patrimônio líquido é de R$ 100.000,00.  Viu só? Com essa explicação, o conceito de Overtrading fica mais simples de ser entendido!

De uma forma mais didática, o Overtrading acontece quando uma empresa vende muito e utiliza margens inadequadas, que não geraram lucro suficiente para sustentar o negócio. Agora sim!

Muitos empresários acreditam que vender mais pode salvar uma empresa da falência. Isso é em muitos casos a própria causa da falência!

Em uma situação de dificuldade financeira, é muito comum os sócios da empresa optarem por uma estratégia de aumento das vendas, oferecendo descontos, promoções e prazos mais atraentes para os consumidores. Se a estrutura de capital de giro da empresa não suportar esse aumento das vendas, a empresa tende a entrar em insolvência financeira (Não perderemos tempo com essa explicação! Caso tenha alguma dúvida, o artigo anterior descreveu e trouxe possíveis soluções para a Insolvência).

Além do excesso de vendas, alguns outros pontos podem levar ao Overtrading.

Trarei aqui algumas causas e suas possíveis soluções:

Causas X Soluções:

Causas:

Formação inadequada do preço de venda:  O pequeno empresário, na maioria das vezes, tem aquela velha visão: “comprei a mercadoria por $10, vou vender por $20 e aí eu vou ter 100% de margem, certo?”. Errado, claro. Preço de venda precisa necessariamente abranger as seguintes variáveis: custos fixos e variáveis, despesas, impostos e margem. Acontece que quase sempre o empreendedor desconhece qualquer um desses itens.

  • Retiradas de sócios acima da capacidade de caixa: OOvertrading também é causado pela baixa variação ou variação negativa do Patrimônio Líquido, o que pode significar retiradas excessivas de um sócio para manter seu padrão de vida incompatível com a situação financeira da empresa.

. Mistura de contas da empresa com contas pessoais: O conceito de DESPESA é muito claro: todo gasto necessário para GERAR RECEITA para a empresa! O que não gera receita, não deveria ser uma despesa. Por isso, seu novo IPhone ou aquela viagem para Argentina parcelada no cartão de crédito da empresa contribui para comprometer o lucro da empresa.

Soluções:

  • Corrigir preço devenda: É o momento de conhecer melhor a estrutura de custos, despesas e o conceito de margem de contribuição da empresa.

. Mix de produtos/serviço: se o produto que sua empresa vende é pouco diferenciado no mercado e existe uma alta concorrência, é hora de introduzir um novo produto ou agregar um serviço mais premium, onde se permita inserir uma margem mais alta.

  • Reduzir retirada dos sócios:É preciso fazer um estudo da situação financeira dos sócios: qual é o padrão de vida que você e seu sócio estão mantendo enquanto a empresa está quebrando? Definitivamente é o momento de conter gastos supérfluos.

. Retirar gastos próprios feitos dentro da empresa: 

. Dos sócios: sua empresa precisa aumentar o seu PL (olha o patrimônio líquido novamente) para regularizar sua estrutura de balanço.

. De investidores: empresas com um bom planejamento e boas perspectivas de mercado podem correr atrás de investimentos para estabilizar o excesso de vendas a preços baixos.

Viu só?! Novamente percebemos aquele ponto que citei no artigo anterior e no início deste: A má gestão.

Muitos empresários não criam uma estrutura intelectual básica para o desenvolvimento e o sucesso de suas empresas. É necessária uma visão estratégica de seu negócio. Nenhum empresário desorganizado, que mistura gastos próprios com os de sua empresa, que não contrata profissionais capacitados para alertá-lo de qualquer irregularidade, tem sucesso.

Conclusão:

Esteja atento a cada movimentação de sua empresa! Não esqueça que cada detalhe pode fazer com que a falência bata sua porta.

Tenha sempre profissionais qualificados ao seu lado! Uma boa gestão não depende só de você. Um bom empreendedor é também aquele que consegue fazer contratações fora do comum! Escolhe bem seus funcionários e profissionais que atuam ao seu lado (contadores, consultores, etc).

Comece hoje mesmo a olhar para sua empresa com uma visão diferenciada!

Gostou desse artigo? Semana você saberá como evitar o UNDERTRADING !

As grandes doenças das empresas: Como evitar que sua empresa morra?

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Sebrae no ano de 2005, cerca de 56% das empresas no Brasil têm uma vida útil de 5 anos. Preocupante não é mesmo? Sabe qual o principal causador dessa fatalidade que atinge o empresário e uma grande parte da população empregada? A má gestão! E ela será um ponto muito importante deste artigo! Neste artigo falaremos sobre a INSOLVÊNCIA FINANCEIRA.

O que é a insolvência financeira?

Insolvência financeira é uma situação em que a empresa não tem capital de giro (capital usado para financiar a continuidade das operações da empresa) suficiente para financiar a operação de seu negócio, compreendida pelo período entre a compra de insumos, matéria prima ou mercadoria para revenda, até o recebimento pela venda de seus produtos/serviços.

Quando a Insolvência acontece?

  1. A operação da empresa é muito robusta (estoques altos e prazos grandes para receber de seus clientes), ocasionando um alto ciclo financeiro (tempo em dias que a empresa demora a produzir e vender seu estoque, coletar os recebíveis e pagar seus fornecedores).
  1. A operação do negócio não é capaz de gerar capital de giro suficiente para se auto sustentar ou esse capital de giro está sendo utilizado para outras finalidades (investimentos, imobilização, retirada excessiva dos sócios). Portanto, a empresa se utiliza de empréstimos de curto prazo, como desconto de duplicatas, cheque especial e demais empréstimos para conseguir financiar sua operação. Com isso,a capacidade de transformar um ativo em dinheiro, a liquidez, da empresa tende a diminuir, de tal forma que ela deixa de ter capacidade de quitar suas obrigações de curto prazo. Uma empresa com saldo de caixa insuficiente para honrar com suas obrigações se torna insolvente, uma vez que a operação de seu negócio não gera caixa, e sim consome.

Viu o tamanho do problema?

Como podemos prevenir esse tipo de doença?

Uma forma de evitar que doenças como essa venham a contaminar sua empresa é uma boa gestão empresarial, financeira e contábil. Na própria pesquisa do Sebrae, ao perguntarem sobre possíveis formas de evitar esse tipo de doença, cerca de 40% concordaram que uma consultoria empresarial seria a solução. Outra parte insistiu em culpar encargos e a economia do país.

Percebe a importância colocada na prática? Empreendedores que sentiram na pele trouxeram essas afirmações!

Um empresário que se atenta para a realidade de sua empresa, procura profissionais capacitados para prover análises, evita e, em casos extremos, remediar situações como a insolvência!

Vou listar aqui causas práticas da insolvência, seguidas de suas possíveis soluções.

Causas X Soluções:

Causas:

  • Financiar clientes e fornecedores por tempo inadequado;
  • Baixo controle de estoque;
  • Não acompanhar as cobranças e recebimentos;

Soluções:

  • Negociar prazos menores: quanto mais rápido a empresa recebe, mais dinheiro ela terá em caixa;
  • Controle de estoque: entradas, saídas e contagem;
  • Criar formas de controle da inadimplência. Fazer régua de cobrança é uma das formas!

Percebeu o quanto as soluções se relacionam com aquilo que havia falado lá atrás, nos primeiros parágrafos deste artigo?

É preciso uma visão geral da sua empresa! Não deixe que situações de fácil solução te deixem distante de seu sonho!

Conclusão:

Atente-se para sua gestão!  Planeje, estude, faça análises baseadas em dados. Você se acha leigo no assunto? Não tenha medo de pedir ajuda! Profissionais como os contadores e consultores empresariais são braços direitos de empresário durante toda jornada! Um bom empreendedor tem como aliados os melhores profissionais!

Comece hoje mesmo a ter uma visão mais estratégica de seu negócio!

Gostou desse artigo? Fique ligado para o próximo! Na próxima semana te contarei sobre outra doença financeira que amedronta muitos empresários: O OVERTRADING.

Connect presente na NIBO 2018

O Nibo Conference é o movimento de contadores empreendedores que estão revolucionando o Brasil. Em outubro de 2018, o evento abriu as portas para os melhores empresários contábeis do país, que pensam da mesma forma e têm um objetivo em comum: impedir a falência de mais de 2 mil empresas por dia.

Foram dois dias de evento com a participação de mais de 1500 pessoas e a equipe Connect esteve presente. Manter-se atualizado e discutir todas as tendências e novidades é a melhor maneira de oferecermos aos nossos clientes um serviço personalizado, eficiente e atual. Isso é Prime, isso é Connect.

 

Pão com ovo: porquê inovar não precisa ser tão complicado

Há poucos meses, entrei em um bistrô/padaria para tomar um café. Um modelo de negócios super comum, certo? ERRADO.

A primeira coisa que eu observei foi a simpatia e educação do funcionário que me atendeu logo na porta e me conduziu até a mesa, ao sentar ele se apresentou, assim como a empresa, me questionou se eu já conhecia a “casa”, se já havia participado do “brunch” deles e como era o meu café da manhã normalmente.

Em seguida, sugeriu um prato que se encaixava perfeitamente ao que eu desejava e disse que era um dos mais vendidos da casa: “você não vai se arrepender!”.

Dito e feito. O prato era simplesmente um pão com ovo, mas o melhor que eu já comi e servido de uma forma surpreendentemente deliciosa.

Outra coisa que me chamou a atenção nesse local foi a forma como o cardápio era feito: totalmente customizável.

Eu podia escolher o pão, os acompanhamentos, incluir uma salada de frutas, enfim o meu café da manhã ficou exatamente ao meu gosto. A apresentação de todos os itens foi pensada com carinho e era perceptível.

Do potinho de requeijão à cestinha do pão. Perceba aqui que não estou falando de nada requintado, mas tudo extremamente bem pensado para que o cliente se sentisse bem cuidado.

E foi aí que pensei: que empresa inovadora!

Transformaram a minha experiência de um “simples café da manhã” em um “delicioso café da manhã”.

Porque inovar não precisa ser complicado, não precisa necessariamente envolver tecnologias, robôs, uma grande invenção ou ter a mente de um gênio como Steve Jobs.

Quando se pensa em negócios inovadores logo vêm à mente UBER, AirBnb, Spotify… ok! São mesmo modelos incríveis de disrupção, mas você não precisa revolucionar o mundo (sempre), você pode começar apenas olhando para dentro do seu próprio negócio, identificar seus pontos fortes e fracos, ouvir seus clientes e conhecê-los, acompanhar o desenvolvimento de todo o setor em que se está inserido.

Afinal desde a inovação mais sofisticada e revolucionária, até a mais simplista possível, a essência é a mesma: pensar soluções e experiências que atendam as expectativas dos seus consumidores.

“Mas por que inovar é tão importante? Eu sempre fiz assim e deu certo”.

Pode ser, mas você tem que pensar que no mundo dinâmico e ávido por novidades em que vivemos hoje a sua empresa precisa estar atenta às tendências de mercado para que se mantenha atraente e sustentável ao longo do tempo e nesse futuro que já está tão próximo.

E se NÃO for pelo dinamismo do mercado, pense em como você pode reatribuir valor ao serviço e/ou produto que você possui. É tornar a sua empresa a inovação do mercado.

Você pode inovar na criação de produtos, na forma de entregá-los, como apresentá-los.
Pode inovar na produtividade entregando maior agilidade.
Pode surpreender criando uma nova metodologia para atender os seus clientes.
Pode investir em tecnologia e ter dados para mais análises que te deixarão mais assertivo.
Pode promover ações sustentáveis para eliminar o impacto ambiental da sua empresa.
Pode criar uma campanha que gere engajamento dos seus clientes…
Enfim, são infinitas as possibilidades.

Ações inovadoras aumentam a sua competitividade, fidelizam clientes, atraem novos clientes… ou vocês não ficaram com vontade de saber onde foi que eu comi esse pão com ovo?

Fazer o simples ser complicado é fácil. Fazer o complicado ser simples é criatividade.

E o que você tem feito para inovar o seu negócio? Que tal começar pelo básico? Simplifique: faça o seu pão com ovo bem feito.